15 de out de 2007

Invasores

Quem foi criança ou adolescente nos anos 70 ainda tem bem gravado na mente o pavor que sentiu ao ver pela primeira (de muitas vezes) Invasores de Corpos. O filme, dirigido em 1978 com competência por Philip Kaufman, trazia uma sombria visão do futuro da Terra: alienígenas vegetais se apossavam dos corpos humanos transformando-os em zumbis e perseguindo sem trégua aqueles que ousavam resistir. Na verdade, Invasores de Corpos já era a segunda adaptação para a telona do conto de Jack Finney – originalmente publicado numa revista com o título “Sleep No More” (não durma mais). Uma primeira versão de Invasion of the Body Snatchers (aqui no Brasil, Vampiros de Almas) já havia sido realizada em 1956 por Don Siegel. Posteriormente, houve ainda uma seqüência dirigida por Abel Ferrara em 1993 (Os Invasores de Corpos - A Invasão Continua).

E eis que quando parece que o assunto está definitivamente esgotado, surge uma quarta e nova edição da velha história. Para a direção, é importado da Alemanha Oliver Hirschbiegel (do ótimo A Queda – As Últimas Horas de Hitler), para realizar seu primeiro filme em língua inglesa. À frente do elenco, duas estrelas conceituadas: Nicole Kidman e Daniel Craig. A trama difere pouco das anteriores. Desta vez, é um acidente com um ônibus espacial que traz para a Terra algo mais que destroços. Pouco a pouco, uma bizarra epidemia se alastra. Os afetados, embora pareçam os mesmos fisicamente, tornam-se pessoas insensíveis e sem qualquer vestígio de emoção. A psiquiatra Carol Bennell e o cientista Ben Driscoll descobrem que a mudança ocorre na primeira noite de sono após o contágio. Logo torna-se difícil saber quem está infectado e, para manter a própria identidade, é preciso desconfiar de tudo e todos. E não dormir.

Desnecessário. Essa é a melhor palavra para resumir Invasores. É evidente que trata-se de uma boa história, que se converteria num filme bem interessante… se o espectador não estivesse vendo a mesmíssima coisa mais uma vez. E numa versão inferior à de Philip Kaufman, que é, sem dúvida, a melhor das quatro. Nada impede que uma história seja refilmada várias vezes, mas é preciso ao menos uma nova abordagem para despertar algum interesse. E Invasores, além de não acrescentar nada ao que já foi realizado, ainda tem um final arrumadinho que é uma baita decepção. Sem contar uma continuidade estranha e a grande praga do cinema atual: a inevitável e interminável seqüência de perseguição de carro perto do desfecho. E antes de colocarmos a culpa no diretor, é bom que se saiba que as besteiras provavelmente foram feitas à sua revelia. Tanto que o longa deveria ter sido lançado no ano passado, mas os produtores não aprovaram a versão realizada por Oliver Hirschbiegel e simplesmente resolveram refazer parte do filme. Os irmãos Andy e Larry “Matrix” Wachowski foram convocados para reescrever o roteiro e o pupilo destes, James McTeigue, para dirigir as cenas adicionais.

O filme estréia nesta sexta. Tremenda bola fora.

Ficha de Invasores no Adoro Cinema

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...