4 de out de 2007

Film Noir

Um homem acorda, no meio da noite, debaixo do letreiro de Hollywood. Não sabe quem é nem porque está ali. A seu lado, um policial morto. Durante sua fuga do local, recebe um estranho telefonema de alguém que procura por Sam Ruben e diz que o serviço está feito. Mas logo surgem indícios de que ele seria um traficante chamado Dave Hudson. Nesse caso, o que estaria fazendo com o celular de Sam Ruben? Cada vez mais confuso, nosso herói só sabe de uma coisa: alguém está no seu encalço.

Animação interessante, nos moldes do film noir clássico. Pena que não consiga segurar o interesse do espectador até o final. Após a excelente meia hora inicial, o roteiro se torna cansativo e com excesso de reviravoltas e trocas de identidade. O que não seria grave, caso não tivesse faltado o fator essencial de qualquer film noir, ou seja, diálogos mais inteligentes e sarcásticos. No final das contas, o filme acaba se prendendo mais à forma e deixando o conteúdo em segundo plano.

A animação propriamente dita, claramente inspirada no visual de Sin City, tampouco é inovadora. É preciso lembrar que Sin City era tão impressionante justamente por levar para as telas a estética da graphic novel com atores de carne-e-osso. Esse mesmo visual feito em animação… Bom, é mais do mesmo.

Film Noir (idem), de D. Jud Jones e Risto Topaloski, EUA, 2007. 97’ (LEP)

Mostra Midnight Movies

Nota: 6,0

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...