22 de jul de 2008

Ao Entardecer


Certos atores mereciam mais destaque, pela competência de seu trabalho. É o caso de Claire Danes. Após despontar em Romeu e Julieta, a atriz já demonstrou qualidade em filmes como Garota da Vitrine e A Bela do Palco. O problema é que ambos foram pouco vistos. Danes até estrelou blockbusters em potencial, mas neles seu desempenho sempre fica em 2º plano. Resultado: pouco a pouco tem entrado no rol dos coadjuvantes de luxo, aqueles que volta e meia roubam a cena em papéis menores mas que raramente obtêm destaque quando o filme gira apenas em torno de si. Uma situação que, até pouco tempo atrás, tinha como maior ícone Philip Seymour Hoffman.

Este é outro destes pequenos filmes em que Danes se destaca. Bela, desenvolta e carismática, ela dá a Ann Grant a vivacidade que a personagem necessita para que se possa compreender seu sentimento na velhice. E ainda por cima revela uma faceta até então desconhecida: Danes canta, e muito bem. É delicioso ouvi-la cantando "Time After Time", da dupla Sammy Cahn e Jule Styne, na cena do casamento. É daqueles momentos que, por si só, já valem a ida ao cinema.


"Ao Entardecer" é um filme que aborda com propriedade a questão do grande amor que não foi vivido com a duração que merecia. Ignore a rapidez com que brota a paixão entre Ann e Harris, pois esta é a típica situação que nunca tem hora marcada nem intensidade medida para acontecer. As lembranças da Ann já idosa, revelando que Harris foi a grande paixão de sua vida, deixam uma pergunta no ar: esta sensação existe pela força do sentimento ou apenas pela não realização de uma situação sonhada?

A resposta está dentro de cada um. Mal comparando, é meio como o final de Antes do Amanhecer: a opção escolhida revela o quão romântico(a) você é. Bom filme, com destaque também para as atuações de Vanessa Redgrave e Hugh Dancy. Estréia nos cinemas nesta próxima sexta.

Nota: 7,5

Saiba mais sobre Ao Entardecer no Adoro Cinema

4 comentários:

Gil Marcel disse...

Oi Francisco! Primeira passada pelo blog! Bacana!

Concordo contigo, apesar de não ter visto o filme ainda. 'cê já viu A Garota da Vitrine?! É um bom titulo com a Claire...

Gosto do Patrick Wilson também... Tá no meu radar desde Pecados Íntimos...

^^

Epifania audiovisual disse...

Este filme entrou na lista pra eu ver. Gostaria de saber se é americano.
Valeu

Francisco Russo disse...

Agradeço o elogio, Gil. Gosto muito de "Garota da Vitrine", especialmente o modo como ele retrata a depressão. A cena em que a Claire Danes entra em depressão é a mais impactante que já vi deste tema até hoje.

Neste filme o Patrick Wilson está apenas correto. Outro filme em que acho que ele está bem é O Fantasma da Ópera.

Francisco Russo disse...

Esta é uma co-produção entre Alemanha e Estados Unidos, lançada no ano passado por lá. Vale a pena ver, só não demore muito. Não acredito que vá ficar muito tempo em cartaz, pela avalanche de pequenos lançamentos nas próximas semanas e a overdose dos blockbusters no circuito.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...